[PESO IDEAL] – O BECO SEM SAÍDA NA OBESIDADE TEM SAÍDA

Gostaria de manifestar a minha gratidão a todos que estão investindo o seu tempo para acompanhar e praticas as postagens.
Desta vez gostaria de compartilhar uma experiência vivida pelo Sandro Mendes que, em um dos trechos, relatou o seguinte:

“…Tive também uma pequena experiência com a Comida, me esforçando para comer saboreando os alimentos. Não precisei comer muito, fiquei repleto com apenas um prato e fiquei também muito feliz pela primeira vez consegui. Obrigado sensei”
Quando saboreamos os alimentos e sentimos gratidão não necessitamos comer tanto, ficamos saciados sem excessos. Experimente.

O BECO SEM SAÍDA NA OBESIDADE TEM SAÍDA

Nesta semana aconteceu uma experiência interessante com uma das participantes do curso que ministro. Na primeira aula sempre costumo fazer um pequeno pré diagnóstico com os participantes. Perguntei a uma das participantes o que a fez ingressar no curso que, de maneira breve, relatou o seu histórico em relação à obesidade.
Esta moça tem 36 anos e há alguns vem lutando para conseguir reequilibrar o peso que adquiriu demasiadamente nos últimos anos. Até hoje tentou todos os métodos possíveis para emagrecer: vários tipos de regimes, leituras de livros e nada resolveu o seu problema. Em uma oportunidade chegou a perder 12 quilos mas não conseguiu dar continuidade, atingindo até um peso superior ao de antes.
Ela relatou que no início, quando começou a correr atrás de métodos para eliminar o peso, o objetivo era emagrecer por questões estéticas, mas que agora seu foco é melhorar a saúde. Tornando-se uma pessoa bastante desanimada e, o mais grave, sem esperança. Resumiu toda sua trajetória dizendo que estava num BECO SEM SAÍDA.
Essa resposta me assustou muito, fiquei pensando em como poderia ajuda-la.
Antes de mais nada é preciso vencer duas grandes barreiras para poder lutar e alcançar o objetivo desejado. As pessoas que almejam perder peso encontram: o desanimo e a perda da esperança no transcurso das práticas e dos dias.
Ouvi todo o seu histórico, hoje ela está com aproximadamente 100 kg.
Em quanto tempo chegou a esse estado? perguntei.
Um pouco assustada respondeu:
Em aproximadamente 16 anos, pois, quando tinha 20 anos pesava 63 kg, e hoje peso 100kg.
Vamos raciocinar juntos: quer dizer que para alcançar esse aumento do peso, ganhou 2,251 kg por ano. Concorda?
Concordo.
Agora dividindo o peso acima por 12 meses, teremos um aumento de 0,187 kg por mês. Concorda?
Concordo.
Será que você não conseguiria diminuir 0,187 kg por mês?
Ela respondeu:
Naturalmente que consigo!
Que bom, então quer dizer que se tornou possível alcançar o objetivo?
Parabéns, já abriu o caminho para conseguir atingir a meta. Agora precisa lembrar de que será ao longo do tempo.
Não foi de repente que ela ganhou todo esse peso, mas sim, ao longo dos anos. Mais precisamente 16 anos.

PORTANTO, NÃO EXISTE BECO SEM SAIDA.
A ÚNICA SAÍDA É POR ONDE ENTROU.

Quero dizer que se ela emagrecer apenas 0,187kg por mês alcançará o objetivo almejado a longo prazo. Com um diferencial: será uma mudança consolidada em anos e anos de práticas. Uma mudança natural sem o perigo de voltar tudo novamente, a não ser que queira.
É preciso lembrar que: demoramos muito para chegar em determinado lugar, mas o retorno é sempre mais rápido.
Assim a participante conseguiu superar o desânimo e, com a esperança renovada, prometeu se esforçar de maneira prazerosa.
Para conseguir alcançar essa meta, poderão utilizar as tarefas dadas como alavanca e incentivo para seguir firme com o objetivo.
Na semana passada deixei umas perguntinhas para serem respondidas como tarefa, hoje gostaria de passar a resposta de cada uma delas:

POR QUE COME?
Pergunta lógica e simples que normalmente temos dificuldade de responder, pois é totalmente voltada para o egoísmo, “nossa sobrevivência”.

A resposta mais adequada é que necessitamos nos alimentar para ganhar saúde e servir a Deus e a sociedade.
PARA QUÊ COME?
É preciso considerar sempre que a forma ideal de nos alimentarmos é com o objetivo de manter/melhorar a saúde e a vida para podermos cumprir plenamente a missão de servir a Deus e ao próximo.
Comer com o pensamento e sentimento altruísta para servir a Deus na construção de um mundo melhor.

QUANDO COME?
Pela rotina, devemos nos alimentar quando chega o horário das refeições. Vamos à mesa para nos deliciar dos alimentos que gostamos independente de estarmos ou não com fome.
A resposta correta é que devemos nos alimentar quando tivermos fome e não ter a obrigatoriedade de comer nos horários pré determinados.

QUANTO COME?
O natural é comer até “matar a fome”, isto é, até o estômago ficar recheado sem espaço para mais nada. Quando frequentamos um restaurante de rodízio de carne, por exemplo, nos alimentamos até não aguentarmos mais, principalmente por levar em consideração a questão do custo benefício.
O mais adequado é, ao comer, interrompermos quando ainda sentimos fome. Deixando um espacinho.
No Japão existe um dito popular que diz que quem se alimenta até 80% da sua capacidade, tem saúde e uma vida duradoura. Precisamos nos conscientizar de que tudo tem limite até a alimentação, pois, quando ultrapassamos sofremos com as suas consequências.
É preciso nos alimentarmos com o sentimento de gratidão a Deus e aos produtores que empenham suas vidas para nos oferecer alimentos tanto agrícolas quanto industrializados.
Se conseguirmos nos alimentar com gratidão e mastigando ate sentirmos o sabor do alimento, não será necessário comer em quantidade.

O QUE COME?
Atualmente a grande maioria da população, leva em consideração apenas o custo dos produtos deixando de lado os benefícios em relação à saúde no futuro.
Na realidade não levam em consideração a qualidade dos alimentos, se são saudáveis ou perniciosos à saúde humana.
É preciso estar atento, pois as toxinas que estão presentes nos alimentos têm ocasionado a médio e longo prazo o aparecimento de muitas doenças, algumas são fatais.

 


Tarefas:

  1. Falar 10 obrigados por dia e anotar num agenda ou livro da vida.
  2. Agradecer em qualquer circunstância;
  3. Escrever um bilhete de gratidão às pessoas que tem o desejo de agradecer especialmente.
  4. Praticar a meditação para conseguir alcançar o equilíbrio emocional.
  5. Exercitar a respiração.
  6. Comer com Gratidão (agradecendo ao alimento e a todas as pessoas que fizeram com que o alimento chegasse à mesa)
  7. Receber 10 Obrigados por dia e anotar num agenda ou livro da vida.
  8. Refletir sobre as respostas das perguntinhas que expliquei acima e modificar o pensamento sobre a sua forma de se alimentar
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *