É POSSÍVEL SER FELIZ NO CASAMENTO?

Como escrevi na matéria anterior, para ser feliz no casamento é necessário estar construindo sempre.

Com o primeiro casamento que durou 25 anos e com o segundo que completou este ano 24 anos, o meu grande aprendizado da vida foi de que é possível ser muito feliz. Fazendo um retrospecto posso concluir que não aconteceram por acaso, ou somente pela minha vontade, mas sim por vontade de Deus. Não entendia assim, mas hoje afirmo que as ocorrências levaram-me a essa conclusão.

Conforme relatei anteriormente, fui feliz no primeiro casamento e no segundo estou ainda mais feliz por ter compreendido e praticado melhor a minha missão e principalmente desenvolvendo a espiritualidade na minha vida cotidiana.

Que diferença!!! Principalmente na convivência dia a dia, mesmo com as dificuldades. Procuro sempre cumprir a missão, vencendo uma série de barreiras e dificuldades. Ainda não encontrei a perfeição mas encontrei um mundo de muita felicidade.

 

Voltando ao dia do casamento…

Que diferença no ouvir e fazer o juramento perante a Deus. Desta vez com muito significado e assumindo a missão do casamento tanto do ponto de vista material como do espiritual.

Nesta época, do segundo relacionamento, compreendia que as pessoas que nós encontramos foram encaminhadas por Deus. Por alguma missão que temos para cumprir.

No dia do casamento, perante Deus, confirmei os meus sentimentos maneira espontânea e, por vontade própria, manifestei o desejo de seguir e praticar a Sua vontade no cumprimento da missão de fazer a minha esposa feliz.

Nessa ocasião compreendi que existia a atuação dos dois mundos, o material representado pelo juiz e o espiritual pelo sacerdote religioso.

Pelas leis da natureza sempre existe a preponderância do espiritual sobre o material, esta compreensão sinaliza que necessitamos cuidar também da parte espiritual.

Portanto, de maneira até inconsciente criamos uma parceria com Deus para podermos cumprir de maneira plena a nossa missão.

Quando assumimos o casamento para a nossa vida, se considerarmos a parte material, passamos a encarar como obrigações as tarefas que necessitamos cumprir no dia a dia. O dia a dia se torna mais pesado, cansativo e com o tempo acaba até desgastando o relacionamento.

Quando assumimos com o pensamento mais espiritual, entendemos que temos uma missão para cumprir com o parceiro e, ao contrario do material, praticamos as coisas com o espírito de voluntário, quanto mais fazemos mais energia recebemos.

Estando alinhando, tendo Deus como parceiro principal e o marido/esposa como parceiro(a), o relacionamento resultará futuramente na felicidade de ambos.

O desejo de Deus é fazer com que os homens sejam felizes e o maior sonho do ser humano é ser feliz. Com a dualidade de vontades, existe um ponto em comum que é a felicidade. Então o que falta acontecer para que a felicidade possa coexistir na nossa vida?

O alinhamento da parte do homem em relação à Deus. Com este alinhamento tudo estará encaminhado para sentir uma plena felicidade, que satisfará a Vontade de Deus e preencherá a vida do casal.

Ainda há tempo para buscar este alinhamento para ser mais feliz!! Basta adquirir o pensamento de querer cumprir a MISSÃO no dia a dia para construir a verdadeira felicidade no casamento.

Resumindo: cumprir a missão é fazer tudo que faça o parceiro ou parceira feliz no cotidiano, sentir e demonstrar gratidão, ver sempre o lado positivo e nunca atacar o negativo. São práticas simples do dia a dia que estão ao alcance de todos. E então… Vamos praticar?

2 respostas
    • Koji Sakamoto
      Koji Sakamoto says:

      Bom dia, em primeiro lugar, é preciso mudar este pensamento de que ele não muda nunca pois isso cria uma barreira para que ele não melhore. Tire esta barreira e comece a praticar o pensamento positivo em relação ao seu marido e siga o principio de que “se eu mudar, ele mudará também”. A mudança de um, principia a mudança do outro. Vamos praticar?

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *