[CASAMENTO] NÃO ADIANTA PROCURAR FORA O QUE SÓ PODE SER ENCONTRADO DENTRO DE SI

Uma senhora que acompanhei por um tempo, quando veio falar comigo, já estava casada há sete anos. Ela trabalhava no que sempre sonhara e não tinha muita paciência com os filhos. Seu casamento era conflito puro! Sua primeira e maior prioridade era seu trabalho, vindo depois a família, os filhos e o marido. Nessa ordem mesmo: o marido no final da lista. Os filhos, na época com três e cinco anos, ficavam com a babá e se afeiçoaram mais a ela do que à mãe, que tendia a ser bastante intolerante com eles. Ela detestava cozinhar e fazer os serviços de casa.

Dedicava-se de corpo e alma ao trabalho, onde passava a maior parte de seu tempo. Apaixonou-se pelo chefe e, como não podia deixar de ser,
os conflitos tornaram-se insuportáveis, pois ela não dava atenção para o marido (mesmo antes do relacionamento com o chefe) e não sentia nenhuma gratidão por ele, o que acarretou na separação do casal. Cega de tanto egoísmo, dizia para si mesma que a separação era principalmente pelos filhos, que não precisariam mais presenciar tantos conflitos. Mas ela nunca ouviu os filhos para saber o que realmente sentiam, e assim, concretizou-se a separação.

Antes de ocorrer esse desfecho, eu a orientava sempre a deixar de trabalhar, pois ela não precisava disso, uma vez que o marido tinha boas condições financeiras, o que lhe permitiria ficar mais com os filhos. Mas ela, apesar de vir a mim dizendo que buscava orientação, na verdade procurava alguém que lhe desse razão para fazer o que fazia. Não me ouviu, assim como não ouvia ninguém, e acabou se separando.

Na época, fiquei preocupado não por ela ter feito o que quis, mas sim por não ter entendido a importância de mudarmos características que provocam sofrimento tanto em nós como nas pessoas que estão à nossa volta. Como o problema estava dentro dela e em seu egoísmo, eu sabia que a separação com o marido e a nova união com a outra pessoa também tenderiam, com o tempo, a dar errado. Se ela não entendesse que deveria aprender a agradecer o que tinha, agradecer as pessoas que Deus lhe oferecia para cumprir missão, ninguém daria certo com ela. Ela tinha que aprender a ser mais “dócil” com a vida, e quando digo dócil quero dizer uma pessoa que aprende a deixar que a Vida (Deus) lhe conduza, procurando sempre o caminho interior, e não o exterior. Não adiantaria mudar de marido, se a falta de gratidão e de entrega a Deus vivia dentro dela.

Passado um tempo de sua separação, ela veio novamente me procurar. Chorava muito e dizia que estava arrependida de ter se separado. Na ocasião, só pude lhe dizer:
– Empenhe-se para merecer o sentimento de perdão de seu marido. Antes eu lhe disse que deveria agradecer o marido que tinha. Agora, mais do que isso, faça por merecer seu perdão.

O marido sofreu muito quando ela partiu. Pensou em sumir, dar fim à vida, ficou completamente desorientado. Sentia a falta dos filhos e dela. Ele passou a carregar essa culpa.

Quando foi morar com o novo parceiro, ela impôs até aos filhos que aceitassem essa nova união, sem consultá-los. Mas aí a situação piorou,
pois os filhos dela passaram a ter muitos conflitos com os filhos dele. À medida que as tensões aumentavam, ela passou a refletir sobre tudo o que eu havia lhe orientado um dia. Disse a si mesma: “Que enorme besteira eu fiz! O problema está mesmo dentro de mim. E estou querendo mudar fora de mim. Meus filhos estão sofrendo demais, sentem a falta do pai. E que sempre foi um excelente pai! E ainda presenciam conflitos. Só que agora entre mim e meu companheiro. Meu marido era o melhor homem do mundo e só eu não enxergava isso. Meu Deus, o que fiz? Joguei tudo fora.

As pessoas que não mudam por amor acabam tendo que mudar pela dor.

Quem não amolece o coração com o amor e a gratidão, acaba tendo que suavizá-lo através do sofrimento, pois Deus tem um amor incondicional por nós e, querendo nosso crescimento, Ele envia lições para aprendermos: umas de forma doce, suave e fácil; outras mais rigorosas, quando a gente é “cabeça dura” e não aprende com suavidade. É sempre bem mais fácil seguir a direção da gratidão e do amor, mas é incrível como as pessoas enveredam pelo caminho do sofrimento, que elas constroem por si mesmas, para poderem aprender.

Não demorou muito para essa jovem senhora ver no seu atual parceiro as mesmas características que ela sempre teve: egoísmo e intransigência. Ele era o seu espelho exato. Além de tudo, ela ainda passou a sofrer com dificuldades financeiras. Conclusão inevitável: separou-se novamente.

Só que aí resolveu aprender e crescer. Passou a buscar sua mudança interior. Mas com a Verdade! O primeiro ponto que logo despertou: o
marido maravilhoso que ela teve e havia deixado para trás! Começou a sentir muita gratidão por ele e grande arrependimento de ter se
separado.Decidiu ficar sozinha por um tempo e crescer. Passou a ir mais assiduamente na religião que praticava, para vincular-se de novo a Deus, buscando algo que sempre lhe faltou: a verdade dentro de si. Queria tornar seu coração mais altruísta. Ela mesma relatou:
Estando sozinha, aprendi a ceder, a ser mais tolerante, ter mais humildade e paciência com a vida.

Até então o ex-marido nem conversava com ela e, por quatro anos, ficou ausente. Mas com a mudança dela, que passou, inclusive, a agradecer seus antepassados e pedir perdão aos do seu marido, que haviam lhe confiado uma missão e ela não tinha entendido e, por egoísmo, fez todos sofrerem (ela, marido e filhos), o ex-marido começou a se aproximar mais dela e dos filhos.

Ela pediu perdão a ele, explicou tudo o que aprendera com o sofrimento e manifestou o desejo de se reconciliar.
Durante os anos de separação, ele namorara outras mulheres, mas não tinha se firmado em nenhuma relação. E ele foi percebendo que ela, agora, colocava mais amor nos afazeres domésticos, tratava os filhos de forma diferente e até cozinhava! Tornaram-se bons amigos e ele passou a ajudá-la mais. Até seu seguro-saúde ele continuava pagando, como se ainda fossem casados.

Estando mais perto dele, agora como amiga, ela foi vendo quantas qualidades ele tinha e que ela nunca soube agradecer. Então, passou a
agradecer por tudo. Com isso, ele acabou confessando que seu sonho era viver junto dela de novo, pois sentia mais tolerância e segurança nela agora.

Se reconciliaram e hoje ela faz de sua família um lar feliz. Agradece por tudo que tem e por ter conseguido reconstruir tudo. Depois disso, ela
passou a orientar amigas que estavam com o mesmo problema. Inclusive, ajudando uma delas, conseguiu fazê-la mudar e impediu uma separação que tenderia a ser como a sua.

Ela mesma me disse, ao final de tudo:
Me arrependi muito de como fui. Hoje sou outra pessoa, muito menos egoísta. Aprendi a agradecer a família linda que tenho e o marido
maravilhoso que mereci.
Eles hoje vivem juntos e são muito felizes. Deus concedeu a ela – que despertou para a verdade de que os problemas vivem dentro de nós e que aprendeu a agradecer – um “final feliz” para essa bonita história de amor.


História extraída do livro “A Felicidade no Casamento está Dentro de Cada Um” e está disponível para compra aqui.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *