[PESO IDEAL] – O BECO SEM SAÍDA NA OBESIDADE TEM SAÍDA

Gostaria de manifestar a minha gratidão a todos que estão investindo o seu tempo para acompanhar e praticas as postagens.
Desta vez gostaria de compartilhar uma experiência vivida pelo Sandro Mendes que, em um dos trechos, relatou o seguinte:

“…Tive também uma pequena experiência com a Comida, me esforçando para comer saboreando os alimentos. Não precisei comer muito, fiquei repleto com apenas um prato e fiquei também muito feliz pela primeira vez consegui. Obrigado sensei”
Quando saboreamos os alimentos e sentimos gratidão não necessitamos comer tanto, ficamos saciados sem excessos. Experimente.

O BECO SEM SAÍDA NA OBESIDADE TEM SAÍDA

Nesta semana aconteceu uma experiência interessante com uma das participantes do curso que ministro. Na primeira aula sempre costumo fazer um pequeno pré diagnóstico com os participantes. Perguntei a uma das participantes o que a fez ingressar no curso que, de maneira breve, relatou o seu histórico em relação à obesidade.
Esta moça tem 36 anos e há alguns vem lutando para conseguir reequilibrar o peso que adquiriu demasiadamente nos últimos anos. Até hoje tentou todos os métodos possíveis para emagrecer: vários tipos de regimes, leituras de livros e nada resolveu o seu problema. Em uma oportunidade chegou a perder 12 quilos mas não conseguiu dar continuidade, atingindo até um peso superior ao de antes.
Ela relatou que no início, quando começou a correr atrás de métodos para eliminar o peso, o objetivo era emagrecer por questões estéticas, mas que agora seu foco é melhorar a saúde. Tornando-se uma pessoa bastante desanimada e, o mais grave, sem esperança. Resumiu toda sua trajetória dizendo que estava num BECO SEM SAÍDA.
Essa resposta me assustou muito, fiquei pensando em como poderia ajuda-la.
Antes de mais nada é preciso vencer duas grandes barreiras para poder lutar e alcançar o objetivo desejado. As pessoas que almejam perder peso encontram: o desanimo e a perda da esperança no transcurso das práticas e dos dias.
Ouvi todo o seu histórico, hoje ela está com aproximadamente 100 kg.
Em quanto tempo chegou a esse estado? perguntei.
Um pouco assustada respondeu:
Em aproximadamente 16 anos, pois, quando tinha 20 anos pesava 63 kg, e hoje peso 100kg.
Vamos raciocinar juntos: quer dizer que para alcançar esse aumento do peso, ganhou 2,251 kg por ano. Concorda?
Concordo.
Agora dividindo o peso acima por 12 meses, teremos um aumento de 0,187 kg por mês. Concorda?
Concordo.
Será que você não conseguiria diminuir 0,187 kg por mês?
Ela respondeu:
Naturalmente que consigo!
Que bom, então quer dizer que se tornou possível alcançar o objetivo?
Parabéns, já abriu o caminho para conseguir atingir a meta. Agora precisa lembrar de que será ao longo do tempo.
Não foi de repente que ela ganhou todo esse peso, mas sim, ao longo dos anos. Mais precisamente 16 anos.

PORTANTO, NÃO EXISTE BECO SEM SAIDA.
A ÚNICA SAÍDA É POR ONDE ENTROU.

Quero dizer que se ela emagrecer apenas 0,187kg por mês alcançará o objetivo almejado a longo prazo. Com um diferencial: será uma mudança consolidada em anos e anos de práticas. Uma mudança natural sem o perigo de voltar tudo novamente, a não ser que queira.
É preciso lembrar que: demoramos muito para chegar em determinado lugar, mas o retorno é sempre mais rápido.
Assim a participante conseguiu superar o desânimo e, com a esperança renovada, prometeu se esforçar de maneira prazerosa.
Para conseguir alcançar essa meta, poderão utilizar as tarefas dadas como alavanca e incentivo para seguir firme com o objetivo.
Na semana passada deixei umas perguntinhas para serem respondidas como tarefa, hoje gostaria de passar a resposta de cada uma delas:

POR QUE COME?
Pergunta lógica e simples que normalmente temos dificuldade de responder, pois é totalmente voltada para o egoísmo, “nossa sobrevivência”.

A resposta mais adequada é que necessitamos nos alimentar para ganhar saúde e servir a Deus e a sociedade.
PARA QUÊ COME?
É preciso considerar sempre que a forma ideal de nos alimentarmos é com o objetivo de manter/melhorar a saúde e a vida para podermos cumprir plenamente a missão de servir a Deus e ao próximo.
Comer com o pensamento e sentimento altruísta para servir a Deus na construção de um mundo melhor.

QUANDO COME?
Pela rotina, devemos nos alimentar quando chega o horário das refeições. Vamos à mesa para nos deliciar dos alimentos que gostamos independente de estarmos ou não com fome.
A resposta correta é que devemos nos alimentar quando tivermos fome e não ter a obrigatoriedade de comer nos horários pré determinados.

QUANTO COME?
O natural é comer até “matar a fome”, isto é, até o estômago ficar recheado sem espaço para mais nada. Quando frequentamos um restaurante de rodízio de carne, por exemplo, nos alimentamos até não aguentarmos mais, principalmente por levar em consideração a questão do custo benefício.
O mais adequado é, ao comer, interrompermos quando ainda sentimos fome. Deixando um espacinho.
No Japão existe um dito popular que diz que quem se alimenta até 80% da sua capacidade, tem saúde e uma vida duradoura. Precisamos nos conscientizar de que tudo tem limite até a alimentação, pois, quando ultrapassamos sofremos com as suas consequências.
É preciso nos alimentarmos com o sentimento de gratidão a Deus e aos produtores que empenham suas vidas para nos oferecer alimentos tanto agrícolas quanto industrializados.
Se conseguirmos nos alimentar com gratidão e mastigando ate sentirmos o sabor do alimento, não será necessário comer em quantidade.

O QUE COME?
Atualmente a grande maioria da população, leva em consideração apenas o custo dos produtos deixando de lado os benefícios em relação à saúde no futuro.
Na realidade não levam em consideração a qualidade dos alimentos, se são saudáveis ou perniciosos à saúde humana.
É preciso estar atento, pois as toxinas que estão presentes nos alimentos têm ocasionado a médio e longo prazo o aparecimento de muitas doenças, algumas são fatais.

 


Tarefas:

  1. Falar 10 obrigados por dia e anotar num agenda ou livro da vida.
  2. Agradecer em qualquer circunstância;
  3. Escrever um bilhete de gratidão às pessoas que tem o desejo de agradecer especialmente.
  4. Praticar a meditação para conseguir alcançar o equilíbrio emocional.
  5. Exercitar a respiração.
  6. Comer com Gratidão (agradecendo ao alimento e a todas as pessoas que fizeram com que o alimento chegasse à mesa)
  7. Receber 10 Obrigados por dia e anotar num agenda ou livro da vida.
  8. Refletir sobre as respostas das perguntinhas que expliquei acima e modificar o pensamento sobre a sua forma de se alimentar

[CASAMENTO] O AMOR AUMENTA O PAVIO CURTO

Outro caso interessante que acompanhei, que mostra como superar esses pequenos contratempos do dia a dia, das diferenças de ser e reagir na rotina, na convivência num lar, foi de um casal cuja esposa era sempre muito irritada, tinha “pavio curto”, como dizia o marido: “explodia” por qualquer coisa. Às vezes, até sem motivo aparente. Ele “pisava em ovos” no tratamento com ela, tomando o maior cuidado para não irritá-la. Isso é ruim, pois acabava não agindo com naturalidade, sempre na “defesa”. O autocontrole é uma das qualidades mais difíceis de se conseguir, mas é, ao mesmo tempo, um dos traços mais marcantes da personalidade do ser humano. Resultado de um treinamento árduo e constante na busca do equilíbrio e da serenidade. Para alcançá-lo, o primordial é procurar descobrir as causas que deixam o “pavio curto” demais.

Esse jovem marido levantou-se numa das reuniões só para homens dos “Encontros de Casais” que costumava realizar e me disse que tinha conflitos com a esposa pois ela brigava e explodia facilmente. Contou que por pouca coisa ela já fazia verdadeiros escândalos. Ele chegava a pegar os filhos, à noite, e sair de casa com eles para não brigar, pois não agüentava os gritos da esposa.

– O que fazer? – perguntou-me ele.

– Aumenta o pavio da sua esposa, assim ela vai demorar mais para explodir.

– Mas como eu faço isso?

– Faça-a feliz, aí o pavio aumenta.

– Como?! Faço tudo por ela, cumpro meu papel de marido… – retrucou.

– O que você faz quando chega em casa? – perguntei-lhe.

– Ah! Quando chego, ela já está dormindo mas deixa gravado numa fita cassete todas as instruções de onde está a comida, o que eu devo fazer, essas coisas.

Quase caí na risada na frente dele! Fita gravada com instruções para o marido??!? Fiquei espantado com esse relato. Disse para ele:

– Gravação em fita!? Você realmente ama sua esposa?

– Amo!

– Acho que não… Em primeiro lugar, se a amasse, ela o esperaria acordada…

Ele me olhou meio “desconfiado”, mas eu continuei:

– Quando você chega em casa e vai tomar banho, deixa o banheiro limpo?

– Não… – respondeu meio confuso.

– Então, a partir de hoje, vai deixá-lo limpinho! E depois do jantar, deixa a cozinha arrumada?

– Não… Isso seria demais!! O senhor sabe o quanto trabalho o dia todo??? Isso é demais!! Ainda chegar em casa de limpar tudo??!!E ela faz o quê??

– Se quer mudar essa situação toda, acabar com as “explosões”dela, terá que, por um tempo, esforçar-se para criar esses hábitos de surpreendê-la com gestos assim de carinho e amor!! De agora em diante, vai passar a jantar e deixar tudo limpo. Inclusive, lave a louça antes de dormir! Dá para entender?

– Mas desse jeito eu vou dormir mais tarde ainda do que já durmo…

– Isso é para salvar o relacionamento de vocês. Você tem que dar exemplo de carinho e amor para que ela vá, aos poucos, percebendo que também deve mudar a conduta dela, e retribuir esses carinhos e gentilezas, e não explodir e brigar. SE VOCÊ MUDA, O OUTRO TAMBÉM MUDARÁ. E NA MESMA PROPORÇÃO.

Passados alguns dias, ele me deu o relatório de suas práticas: chegava tarde em casa vindo do serviço e ainda ia limpar o banheiro, lavar louça… Conclusão: dormia depois de uma hora da manhã.

Na segunda semana de prática, já começou a notar diferença. Estava tomando banho e ouviu barulho na cozinha. Quando foi ver, era a esposa esquentando a comida para ele. Ele ficou emocionado! Animou-se e empenhou-se nas práticas com um amor ainda maior.

E eu insistia:

– E o “pavio” da esposa?

– Está começando a ficar diferente – respondia.

– É porque você está mudando, portanto ela também muda. Basta que um dos dois mude até o ponto de também mudar todo o ambiente.

Na terceira semana, quando relatou sua experiência, estava exultante de felicidade. Ele só dizia:

– Melhorou tanto, o senhor nem pode imaginar!!!

Um dia ele chegou e encontrou a esposa na sala, sentada e esperando por ele. Já não havia mais gravador e ela o ajudou até a arrumar a cozinha. Enquanto ele lavava, ela enxugou as louças. Assim, ele conseguiu até dormir mais cedo.

Mas sua emoção foi indescritível no dia em que, enquanto tomava banho, sua esposa preparou uma comida “nova”(como ele dizia) para ele comer (antes ela apenas esquentava o que já tinha). Ele chegou a pensar: “será que vai ser só hoje, uma única vez”?

Mas não foi. Ela continuou diariamente a lhe preparar uma comida feita na hora para o jantar. E ele ficou tão feliz que começou a imaginar o que poderia fazer para agradecer a esposa. Aí eu lhe perguntei:

– Você dá presentes a sua esposa?

– Não, eu dou o dinheiro e ela compra o que quer.

– Sabe do que ela gosta?

Pensou, pensou, mas não soube responder. Na verdade marido é mesmo desligado desses pequenos gestos, que para uma mulher significam tanto!

– Então descubra – orientei.

Ele acabou descobrindo que ela queria muito um quadro. Eu lhe disse para presenteá-la, pois era um absurdo nunca ter dado um presente à esposa. Ele fez exatamente isso: procurou o tal quadro e deu a ela de presente! Quando ela recebeu o presente, o abraçou forte e chorou de emoção!

Um ponto importante a ressaltar nesta história: no início do casamento, a esposa o esperava chegar em casa e preparava tudo para ele, mas ele foi relaxando tanto como marido que a esposa começou a relaxar também. E casamento não pode ser assim, não pode cair na perigosa e traiçoeira rotina. É preciso haver a eterna reconquista, dia após dia. E lembrar-se que, tentando sempre fazer o outro feliz, é impossível cair na rotina.

Ele, que recebia tudo da esposa, não soube agradecê-la e fazê-la feliz. Acabou perdendo o que já tinha e, “quem tem e não agradece, perde o que tem. Quem não tem, e agradece pelo que não tem, acaba tendo mais do que esperaria!”

Terminando o ciclo dos Encontros para Casais, o amor entre os dois estava tão intenso que a esposa até ficou grávida. Depois de um filho de catorze anos, veio um bebê “temporão”.

Esta história é para os casais aprenderem a não só exigir do outro, mas começar a praticar primeiro a mudança dentro de si mesmo até que o outro mude também.

 


História extraída do livro “A Felicidade no Casamento está Dentro de Cada Um” e está disponível para compra aqui.

[PESO IDEAL] – OS EFEITOS POSITIVOS E BENÉFICOS DA PRÁTICA DA GRATIDÃO

Hoje estou realizando a 5ª postagem da série EQUILÍBRIO NO PESO – PESO IDEAL.
Agradeço imensamente as pessoas que tem enviado seus pequenos relatos do dia a dia, resultado das práticas que estão realizando através das nossas sugestões.

Em razão do acúmulo das práticas do falar e agora do receber obrigado, algumas experiências interessantes surgiram, como esta que segue abaixo:

“Boa tarde Reverendo Koji, estou praticando sim e tenho tido resultados incríveis. Ao agradecer pelo alimento e por todos que contribuíram para que aquele alimento estivesse disponível, senti mais saciedade e menos ansiedade. Antes comia e logo já tinha fome. Agora, com gratidão, sinto que o alimento tem mais energia vital e demoro muito mais a ter fome.
Muitíssimo obrigado pelas valiosas orientações. Grande Abraço de MG”

O relato é do Felippe Clemente que está seguindo as orientações desde o começo do projeto. Gostaria de deixar registrado aqui a minha gratidão a ele por permitir que eu compartilhasse com vocês.

Podemos depreender dessa experiência que muitas vezes a nossa forma de alimentar, até um certo ponto, é inconsciente. Comemos além da nossa necessidade movido por um ímpeto incontrolável e quando nos damos conta, ficamos assustados com a quantidade de comida que ingerimos. Por exemplo, cada pessoa tem uma necessidade de acordo com o organismo e de acordo com o consumo de energia que gasta. O ideal seria consumirmos alimentos para gerar energia para suprir a nossa necessidade.

Para organizarmos um pouco a nossa forma de alimentar precisamos nos ordenar e praticarmos a alimentação consciente.

Aqui vai uma dica para ajudar a colocar em ordem essa desorganização alimentar.

Em tudo na nossa vida existe a necessidade da ordem. Se criarmos desordem nada andará bem, principalmente em relação à nossa saúde.
Aprendi há um tempo algumas dicas de lógica que não praticamos. Sempre sugiro treinar responder a quatro perguntas elementares para nos alimentarmos.

1. Por que e para que comemos?
2. Quando comemos?
3. Quanto comemos?
4. O que comemos?

Não vou responder a essas perguntas, gostaria que pensassem e me enviasse como tarefa para ajudar a organizar a sua mente. O efeito, lógico, tendo a resposta correta, será extraordinário.

Vocês vão perceber que existe uma força estranha que desgoverna todo nosso objetivo para melhorar as coisas. Chama-se espírito secundário que já foi citado na postagem anterior. Ele detona toda a intenção positiva que temos, atuando através do prazer que é o nosso ponto franco. Embora seja prazeroso, nós nos desgovernamos na dose, pois, queremos sempre usufruir máximo possível sem medir as consequências.
Para controlar não basta querer frear, isto é, querer controlar o negativo (o negativo tem um poder muito grande). Vamos aumentar o positivo, que além de equilibrar chegará um momento que o positivo será maior do que o negativo, assim estaremos equilibrando e controlando a sua atuação.

As práticas do obrigado (falar e receber 10 obrigados por dia e anotar) serão o contrapeso para equilibrar e posteriormente preponderar o positivo.

Nesse estágio, estaremos na condição de equilibrar a volúpia de consumo que muitas vezes sentimos, atendendo aquela “voz” que fica em nosso ouvido:
– é só hoje.
– coma mais um pouco, está muito gostoso.
– aproveita que você está pagando…
– Aproveita que é rodízio…
– Aproveita que é buffet livre…

Existem mil maneiras de detonar o caminho do equilíbrio que estamos tentando trilhar.

O que aconteceu com o Felippe é que, de maneira natural e sem sofrimento, percebeu que não sentia mais necessidade de comer a mais.
Esse “mais” muitas vezes é que cria o desequilíbrio.

É preciso lembrar que ninguém aumenta o peso de repente, o aumento é a somatória das miligramas que acumulamos no dia a dia e durante alguns anos.

Portanto, não é perder alguns quilos em pouco tempo, mas controlar as miligramas por dia.

 

EFEITOS DO FALAR OBRIGADO
De maneira resumida gostaria de passar a vocês alguns efeitos positivos que as práticas de falar obrigado que provocam com o passar do tempo.

1- A GRATIDÃO É A MÃE DA ALEGRIA
A alegria é definida no dicionário como uma “emoção evocada por bem estar, sucesso, sorte, ou pela perspectiva de possuir aquilo que se quer”. Quanto à gratidão, é “um estado de apreciar benefícios recebidos”. Em outras palavras, sempre que apreciamos algo que recebemos somos invadidos por uma sensação de bem estar e inundados por um sentimento de alegria.

2- A GRATIDÃO NOS TORNA MAIS JOVENS
Crianças pequenas são criaturas exuberantes, cheias de alegria, prontas a abraçar a vida.
Mas alguma coisa no processo de crescimento tira de nós esse entusiasmo. Vamos tornando-nos retraídos, duros, empedernidos. Isso é tão comum que, quando encontramos uma pessoa mais velha vibrante e cheia de alegria, ela nos parece uma estranha exceção. No entanto, amadurecer e envelhecer, não significa perder o entusiasmo da juventude. Tudo o que precisamos fazer é retomar nosso sentimento de gratidão para voltarmos a ser crianças, como se estivéssemos vendo o mundo pela primeira vez.

3- A GRATIDÃO NOS FAZ SENTIR BEM
A gratidão é um estimulante natural. Funciona tão bem que sempre que sentimos a energia diminuindo devemos pensar em motivos que nos levam a sermos gratos naquele momento.
A gratidão nos faz sentir bem porque aumenta nosso campo de visão. Quando estamos deprimidos, nos concentramos apenas nos problemas e dificuldades. Mas quando sentimos gratidão, de repente o mundo parece mais brilhante cheio de opções prazerosas.

4- A GRATIDÃO FAZ BEM À SAÚDE
Pesquisas científicas recentes indicam que emoções positivas, como gratidão e amor produzem efeitos benéficos à saúde. Elas estimulam o sistema imunológico, permitindo que o corpo resista às doenças e se recupere mais depressa, pela liberação de endorfinas na corrente sanguínea. Endorfinas são anestésicos naturais do corpo. Entre outros efeitos estimulam a dilatação das artérias, relaxando o coração.
Em contra partida, emoções negativas, como preocupação, raiva e desesperança, reduzem o número de células brancas, que combatem as doenças e fazem o organismo despejar altos níveis de adrenalina na circulação, contribuindo para o risco de derrame e doenças do coração.
Isso significa que quanto mais procuramos sentir gratidão, mais endorfina e menos adrenalina bombeamos em nosso sistema o que aumenta a possibilidade de uma vida longa e saudável.

5- A GRATIDÃO APROXIMA AS PESSOAS
Quando somos gratos exalamos felicidade, isso atrai as pessoas e as mantém perto de nós.
Elas querem ficar próximas daquela energia exuberante.
Quando dizemos que um copo está cheio até a metade, em vez de vê-lo vazio até a metade, prestamos atenção no que está dentro dele, em vez de nos fixarmos no que falta.
Quando saímos de dentro de nós e de nossos problemas, para olhar com encantamento as pessoas que nos cercam, expressando gratidão pela presença delas em nossas vidas criamos um campo de energia positiva, que gera felicidade para todos.

6- A GRATIDÃO ELIMINA A PREOCUPAÇÃO.
A preocupação está sempre relacionada com o futuro, enquanto a gratidão é o aqui e agora. Revendo nossas preocupações vemos que todas se direcionam sobre o que pode ou não acontecer. Preocupamo-nos em como vamos mandar nosso filho para faculdade quando ele crescer, com os resultados de exames que vamos fazer, com o futuro do nosso emprego etc. Em todos esses casos projetamos o futuro como algo de ruim que vai acontecer.
A gratidão nos trás de volta para tudo que está funcionando perfeitamente bem agora. O amanhã talvez traga problemas, mas no momento as coisas estão muito bem.

7- A GRATIDÃO É UM ANTÍDOTO PARA A AMARGURA E O RESSENTIMENTO
A amargura é um veneno que deixa nossas almas opacas, tornando-nos resistentes aos prazeres e às alegrias da vida, fazendo com que nos concentremos apenas no que está errado.
A gratidão é a luz interna que podemos usar para iluminar nossas almas. Quanto mais gratos somos, mais luz possuímos, e mais somos capazes de espalhá-la pelo mundo.

8- A GRATIDÃO CURA O PERFECCIONISMO
O perfeccionismo nasceu de um sentimento de carência, assim uma atitude de gratidão se contrapõe a ele favorecendo uma experiência de abundância. A gratidão faz com que nosso mundo pareça completo. Aceitamos a vida como ela é, por mais desorganizada, complicada e fora dos eixos que possa parecer.
A gratidão nos ajuda a aceitar não apenas que o mundo é imperfeito, mas que nós também somos.

9- A GRATIDÃO NOS LIBERTA DO CONSUMISMO
A gratidão nos tira da rotina do consumismo em que caímos.
Se não praticarmos a gratidão no cotidiano, teremos a tendência de consumir demais, porque em geral tentamos preencher nossa carência comprando coisas. Deixamos de registrar que já temos tudo aquilo que precisamos.

10- A GRATIDÃO NOS MANTÉM NO AGORA
Ao deixarmos nossa alma se abrir para a plenitude da gratidão, o passado e o futuro se apagam, e nos tornamos mais vivos no momento presente. Por isso a gratidão é na maioria das vezes sobre o aqui e o agora.

Vamos aumentar a nossa prática da gratidão, procurando aprofundar e descobrir quantas coisas ainda não agradecemos, como por exemplo:

  • O emprego que tem. Quantas vezes reclamam dos chefes, dos clientes e até das empresas? Em alguns casos pensam até em prejudica-los.
  • A esposa/o marido que tem. O Casamento não acontece por acaso, mas pela missão que tem. Se conseguir agradecer poderá viver sempre o lado positivo do casamento.
  • Os filhos que tem.
  • A água e energia elétrica.
  • O ar que respira. Mesmo que não tão puro.
  • Agradecer os fatos desagradáveis. Representa um alerta para nós nos corrigirmos para que no futuro seja positivo.

Temos muitas razões para agradecer. Quem agradece sempre conquistará o que deseja.

“QUEM NÃO AGRADECE O QUE TEM NÃO MERECE O QUE NÃO TEM E SE CONTINUAR RECLAMANDO, PERDERÁ O QUE TEM”

Desejo boas práticas em busca do equilíbrio da saúde, objetivando o PESO IDEAL!

 


Tarefas:

  1. Falar 10 obrigados por dia e anotar num agenda ou livro da vida.
  2. Agradecer em qualquer circunstância;
  3. Escrever um bilhete de gratidão às pessoas que tem o desejo de agradecer especialmente.
  4. Praticar a meditação para conseguir alcançar o equilíbrio emocional.
  5. Exercitar a respiração.
  6. Comer com Gratidão (agradecendo ao alimento e a todas as pessoas que fizeram com que o alimento chegasse à mesa)
  7. Receber 10 Obrigados por dia e anotar num agenda ou livro da vida.
  8. Responder as quatro perguntinhas: O que, por que, quando e quanto como?

[DIA DOS PROFESSORES] AOS PROFESSORES FELIZES

Aos professores felizes, desejo meus parabéns hoje e todos os dias das suas vidas.
O dia de hoje, mais do que uma homenagem, deve ser uma reflexão sobre a verdadeira missão do professor de participar da construção, formação e felicidade dos alunos, garantindo o futuro de uma sociedade melhor almejada por todos.
A cada ano vocês recebem novos alunos para serem formados. Com eles, receberão também, uma nova oportunidade para o melhor cumprimento da missão.
Cumprir essa missão junto a cada aluno no dia a dia refletirá no desenvolvimento do ser e sua felicidade.
Se considerarmos que EDUCAR É ENSINAR O CAMINHO DE SER FELIZ compreenderemos que esta é a grande missão concedida por Deus à todos os educadores.
Portanto, cumprindo esta missão estará assegurada a felicidade dos professores.
Parabéns pela grande permissão de SER DUCADOR.

[CASAMENTO] – ALFACE CROCANTE OU BOLO?

Há pessoas que pensam que são altruístas, que dão o melhor de si para agradar as outras pessoas. Mas dar o “melhor de si” para elas é fazer o que lhes é conveniente, porque gostam de tal coisa e acham que a outra pessoa também gosta e tentam impor sua vontade. Não se preocupam com os desejos e expectativas do outro. Não conseguimos mudar as pessoas com imposições e nem mostrando a elas o que consideramos errado, mas sim com amor, desapego e aprendendo a entregar tudo nas mãos de Deus.

Uma senhora tinha um marido que não era assim tão entusiasmado pelas coisas dela. Um dia, curioso com esse fato perguntei:
-Por que seu marido não se interessa por coisas que são tão vitais para a senhora?
-Ele não quer, acha que não é importante…
-Acho que o problema está em você – eu disse com convicção
-Em mim? Mas eu faço tudo que sei fazer, por ele!

Uma tarde, fui a uma reunião na casa dessa senhora. Insisti:
-Você faz o seu marido feliz?
-Lógico! Compro tudo que é bom para ele: “alface crocante” proveniente do cultivo natural de alimentos, legumes, verduras e frutas sem agrotóxicos, até pasta dental natural… Mas ele não come o que ofereço. Só compra e come o que ele mesmo quer.

Fiquei pensando como seria a “alface crocante”… Nunca soube que alface era essa, mas ouvindo seu relato, lhe falei com seriedade:
-Você quer impor as coisas para seu marido, as coisas que você acha que são boas. Isso é uma característica sua! Do que ele mais gosta?
-Bolo – respondeu de imediato.
-Então a senhora faz bolos para ele, não é mesmo?
-Não…
-Como não faz? – perguntei perplexo
-Vou a doceria, compro o bolo mais gostoso e lhe ofereço. Ele fica feliz.
-A senhora tem que fazer o bolo, com seu sentimento de gratidão a ele – orientei
-Fazer? Mas eu não sei fazer bolo!
-Ótimo pretexto para aprender.
Ela tentou fazer o bolo na primeira oportunidade. Arriscou e fez, mas foi um desastre: ele não cresceu. Porém, como todos estavam esperando-o com tanta ansiedade, ela lhes ofereceu assim mesmo.

O marido e o filho comeram o bolo todo. E com a maior alegria. Quando ela me contou isso, eu lhe disse:
-Está vendo? O bolo era feio, não cresceu, mas tinha amor e espírito.

A partir desse dia, ela começou a tentar não impor mais nada ao marido, mas buscando fazê-lo feliz do jeito que ele esperava. Resultado: dois meses depois, ele estava mudado e mais atendo ao que ela gostava e queria dele.
Temos que tomar cuidado com essa característica de impor nosso “eu” aos outros. Isso é falta de delicadeza, e se reflete em tudo.


História extraída do livro “A Felicidade no Casamento está Dentro de Cada Um” e está disponível para compra aqui.

[PESO IDEAL] – ESPIRITUALIDADE

Agora, após o quarto artigo, as pessoas que estão praticando as tarefas já começaram a sentir pequenos efeitos no seu interior como o aumento da felicidade, mais harmonia nos ambientes de convívio, mudanças na saúde e no bem estar. Se você está praticando com disciplina, basta prestar um pouco mais de atenção para perceber.

Tenho recebido alguns depoimentos que confirmam essas observações.

É inegável a mudança ocorrida naturalmente em razão das praticas realizadas do falar obrigado, agradecer em qualquer circunstancia, meditação… É um início de grandes mudanças que ocorrerão na vida graças a uma pequena elevação da espiritualidade.

 

ESPIRITUALIDADE

Vamos falar sobre espiritualidade?

Ser espiritualista é acreditar na existência do invisível, Deus, e se tornar útil à sociedade. Deduz-se que existe então o mundo espiritual.

O Corpo espiritual que existe no mundo espiritual é formado por três espíritos que são protagonistas na nossa vida, atuando diuturnamente.

Cada espírito tem a sua atuação definida:

  • Primário: espírito positivo, que é o principal por se tratar do Divino.
  • Secundário: espírito negativo, representa a atuação do negativo na nossa vida e é principal causa dos problemas que enfrentamos no nosso dia a dia.
  • Guardião: é o espírito de atuação positiva, procurando nos proteger todo o tempo, nosso anjo da guarda.

É bom saber a atuação de cada um, pois eles definem claramente a nossa vida material e espiritualmente, no que tange a  felicidade ou infelicidade.

Podemos representar o nosso dia como um copo que enchemos diariamente com os atos positivos e negativos praticados e 24 hora depois, é despejado num tanque que denomino de “tanque da vida”. De acordo com o acumulo das práticas positivas ou negativas, definimos a nossa felicidade ou infelicidade. Podemos concluir que se a pratica diária for positiva a nossa vida será de felicidade, caso contrário infelicidade.

Como o grande desejo do ser humano é ser feliz, é bom que pratiquemos  o maior número de boas ações possíveis.

O homem é o único que tem o poder do livre arbítrio concedido por Deus, isto é, a liberdade de praticar coisas mesmo que estejam erradas. Se praticarmos coisas positivas evoluiremos espiritualmente, caso contrário regrediremos e nos tornaremos infelizes.

Será que temos motivos para agradecer no dia a dia?

Precisamos aumentar a nossa capacidade de visão e percepção das coisas. Aumentar ainda mais nossa prática dos olhos de ver.

Na matéria passada escrevi sobre as coisas que acontecem no cotidiano e que as pessoas nunca aprofundam até chegar aos olhos de ver. Este fato faz com que isso gere uma enorme insatisfação, ingratidão. É preciso prestar mais atenção a tudo que nos cerca pois sempre há motivos para agradecer!

  1. Os familiares que possuímos
  2. A atuação de Deus na nossa vida.
  3. Tudo que temos.

Vamos pensar!

Tem até produtos utilizando esta palavra como “slogan”. Uma marca de pão utiliza o “Muito Obrigado”, por exemplo. É preciso, com os olhos de ver, agradecer a tudo o que temos e não lamuriar pelas coisas que nos faltam.

Mas a gratidão não está completa se apenas falarmos quando recebemos benefícios de alguém. É preciso receber o obrigado.

A gratidão completa é como a respiração! Ela tem dois movimentos o primeiro de inspirar o ar (oxigênio) pelo nariz e outro expirar pela boca (gás carbônico). A respiração correta é quando conseguimos inspirar e depois expirar com movimento compassados e conscientes.

Com o obrigado acontece o mesmo.

  • Falar obrigado – quando recebemos bem o servir de alguém.
  • Receber obrigado – quando fazemos algo positivo a outras pessoas.

Portanto, para viver bem é preciso praticar esses dois movimentos. Se praticarmos somente o primeiro, estaremos aumentando o nosso egoísmo e nesse caminhar dificilmente seremos felizes de verdade. Mas se completarmos o movimento através do aumento das práticas de altruísmo (fazer algum bem a alguém sem esperar nada em troca). A pessoa poderá ser mais feliz e consequentemente nós também seremos mais felizes.

O segredo, a partir de hoje, é a aumentar a prática do altruísmo que é o caminho infalível para alcançarmos a felicidade. Vamos aumentar a prática do receber obrigado no dia a dia.

Qualidade de vida, acertar para reequilibrar a nossa vida pessoal, familiar e profissional.

Estamos vivendo hoje o mundo da era do dia que é característico da espiritualidade e do altruísmo, ao contrário do materialismo – egoísmo.

Até no peso estamos desgovernados, precisamos encontrar o equilíbrio. Se corrigirmos e praticarmos corretamente a respiração e obrigado, tudo mudará em nossa vida.

Portanto, vamos nos empenhar para receber 10 obrigado por dia através das nossas praticas do altruísmo!

 

 


Tarefas:

  1. Falar 10 obrigados por dia e anotar num agenda ou livro da vida.
  2. Agradecer em qualquer circunstância;
  3. Escrever um bilhete de gratidão às pessoas que tem o desejo de agradecer especialmente.
  4. Praticar a meditação para conseguir alcançar o equilíbrio emocional.
  5. Exercitar a respiração.
  6. Comer com Gratidão (agradecendo ao alimento e a todas as pessoas que fizeram com que o alimento chegasse à mesa)
  7. Receber 10 Obrigados por dia e anotar num agenda ou livro da vida.

É POSSÍVEL SER FELIZ NO CASAMENTO?

Como escrevi na matéria anterior, para ser feliz no casamento é necessário estar construindo sempre.

Com o primeiro casamento que durou 25 anos e com o segundo que completou este ano 24 anos, o meu grande aprendizado da vida foi de que é possível ser muito feliz. Fazendo um retrospecto posso concluir que não aconteceram por acaso, ou somente pela minha vontade, mas sim por vontade de Deus. Não entendia assim, mas hoje afirmo que as ocorrências levaram-me a essa conclusão.

Conforme relatei anteriormente, fui feliz no primeiro casamento e no segundo estou ainda mais feliz por ter compreendido e praticado melhor a minha missão e principalmente desenvolvendo a espiritualidade na minha vida cotidiana.

Que diferença!!! Principalmente na convivência dia a dia, mesmo com as dificuldades. Procuro sempre cumprir a missão, vencendo uma série de barreiras e dificuldades. Ainda não encontrei a perfeição mas encontrei um mundo de muita felicidade.

 

Voltando ao dia do casamento…

Que diferença no ouvir e fazer o juramento perante a Deus. Desta vez com muito significado e assumindo a missão do casamento tanto do ponto de vista material como do espiritual.

Nesta época, do segundo relacionamento, compreendia que as pessoas que nós encontramos foram encaminhadas por Deus. Por alguma missão que temos para cumprir.

No dia do casamento, perante Deus, confirmei os meus sentimentos maneira espontânea e, por vontade própria, manifestei o desejo de seguir e praticar a Sua vontade no cumprimento da missão de fazer a minha esposa feliz.

Nessa ocasião compreendi que existia a atuação dos dois mundos, o material representado pelo juiz e o espiritual pelo sacerdote religioso.

Pelas leis da natureza sempre existe a preponderância do espiritual sobre o material, esta compreensão sinaliza que necessitamos cuidar também da parte espiritual.

Portanto, de maneira até inconsciente criamos uma parceria com Deus para podermos cumprir de maneira plena a nossa missão.

Quando assumimos o casamento para a nossa vida, se considerarmos a parte material, passamos a encarar como obrigações as tarefas que necessitamos cumprir no dia a dia. O dia a dia se torna mais pesado, cansativo e com o tempo acaba até desgastando o relacionamento.

Quando assumimos com o pensamento mais espiritual, entendemos que temos uma missão para cumprir com o parceiro e, ao contrario do material, praticamos as coisas com o espírito de voluntário, quanto mais fazemos mais energia recebemos.

Estando alinhando, tendo Deus como parceiro principal e o marido/esposa como parceiro(a), o relacionamento resultará futuramente na felicidade de ambos.

O desejo de Deus é fazer com que os homens sejam felizes e o maior sonho do ser humano é ser feliz. Com a dualidade de vontades, existe um ponto em comum que é a felicidade. Então o que falta acontecer para que a felicidade possa coexistir na nossa vida?

O alinhamento da parte do homem em relação à Deus. Com este alinhamento tudo estará encaminhado para sentir uma plena felicidade, que satisfará a Vontade de Deus e preencherá a vida do casal.

Ainda há tempo para buscar este alinhamento para ser mais feliz!! Basta adquirir o pensamento de querer cumprir a MISSÃO no dia a dia para construir a verdadeira felicidade no casamento.

Resumindo: cumprir a missão é fazer tudo que faça o parceiro ou parceira feliz no cotidiano, sentir e demonstrar gratidão, ver sempre o lado positivo e nunca atacar o negativo. São práticas simples do dia a dia que estão ao alcance de todos. E então… Vamos praticar?

[PROJETO PESO IDEAL] – OLHOS DE VER, OLHOS AVISADOS

Olá tudo bem com vocês?

Estou acompanhando algumas pessoas que estão enviando seus relatos, apresentando dificuldades para praticar as tarefas passadas.

Compreendo que não é fácil praticar as tarefas embora sejam simples. Sinto que algumas vezes as pessoas não procuram se aprofundar nas práticas, cumprem de maneira superficial sem o comprometimento necessário para dar continuidade.

Até agora foram sugeridas as seguintes práticas:

  1. Falar 10 obrigados por dia e anotar num agenda ou livro da vida.
  2. Agradecer em qualquer circunstância;
  3. Escrever um bilhete de gratidão às pessoas que tem o desejo de agradecer especialmente.
  4. Praticar a meditação para conseguir alcançar o equilíbrio emocional.
  5. Exercitar a respiração.

Essas práticas iniciais são para gerar energia positiva. Mesmo não conseguindo praticar regularmente tudo em ordem, é importante que procurem se esforçar. Tudo o que conseguirem praticar será muito positivo no futuro.

A amplitude que tem a prática da gratidão no nosso dia a dia é uma coisa extraordinária que tem a capacidade de mudar a nossa vida. Procurar agradecer tudo e todos que estão ao seu redor, mas de coração, assim os efeitos serão muito diferentes.

Vamos praticar os OLHOS DE VER e não apenas os OLHOS AVISADOS.

Aprofundar mais sobre a nossa prática da gratidão em tudo na nossa vida, assim passaremos a compreender a razão das coisas, principalmente os fatos que acontecem. Muitas vezes os efeitos negativos nos afetam diretamente, física, mental e espiritualmente.

 

SOBRE A ALIMENTAÇÃO

Nós nos alimentamos mecanicamente apenas saciando e “matando a fome” do ponto de vista material, muitas vezes comendo até demais, além da necessidade nossa e para quando não tem mais espaço no nossos estomago.

Vamos fazer uma experiência, praticando algumas sugestões durante as refeições, por exemplo o sentimento de gratidão de maneira ampla.

  1. Agradecer a Deus pela permissão de poder comer.
  2. Agradecer os produtores em geral por tudo que saboreamos: verduras, carne, legumes, frutas, etc… Posteriormente os cozinheiros, garçons, os proprietários.
  3. Agradecer todas as pessoas envolvidas nos processos até os produtos chegarem a nossa mesa.
  4. Além de naturalmente agradecer as pessoas que manipulam os alimentos com amor para serem degustados por todos nós.

Não devemos somente agradecer com palavras, mas sim através das nossas atitudes, saboreando com gratidão, sentindo o sabor do alimento através de uma mastigação diferenciada.

Por exemplo, mastigar os alimentos até sentir o sabor do alimento. É um estágio de gratidão sensacional. Vão sentir que não precisam comer muito para ficarem satisfeitos. Muitas vezes, por falta de gratidão e por não sentir o sabor do alimento, acabamos comendo demais para nos satisfazer.

O sentir a gratidão nos livra da necessidade de comer muito para chegar nesse estágio de saciedade.

Já fiz essa experiência por diversas vezes e posso afirmar, que efeito sensacional!

Nesta semana, vamos procurar nos alimentar experimentando sentir a essência do sabor do alimento.

 

NÃO COMER POR COMER, MAS COMER SENTINDO GRATIDÃO PELOS ALIMENTOS E PELAS PESSOAS.

CONSEGUINDO COM ISSO EQUILIBRAR O CORPO, TORNANDO-SE MAIS FELIZ.

Já que escrevi sobre os olhos de ver e olhos avisados, agora gostaria de passar de maneira resumida o que significa e como praticar.

Por exemplo, eu lembro ainda do primeiro carro que adquiri. Pesquisei muito sobre as cores do modelo, queria uma diferenciada, incomum.

Depois de um tempo cheguei a conclusão que a cor “vinho” era muito rara, e mesmo observando os carros na rua não me deparava com nenhum dessa cor. Pois bem, definida a cor a outra grande dificuldade era encontrar na agência o modelo com a cor desejada. Depois de quatro meses consegui adquirir,!Que alegria, que felicidade!

Mas um fato muito interessante aconteceu, depois de estar dirigindo na cidade o meu carro novo, encontrei diversos carros da mesma cor. Pois passei a olhar com os olhos avisados!

O mesmo fenômeno acontece com as grávidas. Quando uma mulher está grávida, só consegue enxergar outras grávidas nas ruas ou nos shoppings.

Outra forma de perceber a atuação dos olhos avisados, é diante daquelas brincadeiras que existe em que num desenho cheio de rabiscos é possível encontrar alguma figura. Sem o aviso de que há uma figura no meio é quase impossível encontrar. Mas quando está escrito que existe o rosto de uma pessoa, é possível identificar quase que imediatamente.

QUANDO SOMOS AVISADOS, CONSEGUIMOS IDENTIFICAR COM FACILIDADE.

Mas existe também OS OLHOS DE VER, quando aprofundamos até encontrar a sua essência a sensação é indescritível.

Como numa leitura, quando conseguimos ler algumas vezes até entender o que autor deseja passar para nos ajudar, o efeito é extraordinário.

O mesmo poderia ser feito com as tarefas que transfiro a vocês, praticar, praticar, praticar até conseguir sentir a essência de cada tarefa.

Esse é o meu objetivo.

 

ESPIRITUALIDADE NA VIDA COTIDIANA

Por muitas e muitas vezes ouvimos frases como: precisamos cuidar do corpo, mente e espírito.

Mas na prática, cuidamos da parte material representada pelo corpo e mente e quase nada da parte espiritual. Isto é, apenas mencionado, mas não praticado.

Precisamos compreender que se o todo do ser humano é composto por corpo, mente e espírito podemos subentender que existe o mundo físico, mental e espiritual.

Como o bem ou mal conhecem o mundo físico e mental, gostaria de dar algumas pinceladas sobre o mundo espiritual.

No mundo espiritual é que encontramos muitas explicações pelos fenômenos que acontecem no mundo material e não temos explicações plausíveis.

Resumidamente entendemos que cuidamos da parte material (físico e mental) que representam 2/3 do ser faltando ainda 1/3 que representa o espiritual. Cuidando agora da parte espiritual, passamos a ter o domínio total do ser humano como um todo ou de maneira holística.

Para facilitar um pouco, poderemos comparar com a trilogia – mundo do pensamento, mundo da palavra e mundo da ação.

Compreendemos que o pensamento precede a ação, isto é, até para mudar a nossa ação, necessitamos mudar o pensamento. A ação é efeito e o pensamento a causa.

 

 


Tarefas:

  1. Falar 10 obrigados por dia e anotar num agenda ou livro da vida.
  2. Agradecer em qualquer circunstância;
  3. Escrever um bilhete de gratidão às pessoas que tem o desejo de agradecer especialmente.
  4. Praticar a meditação para conseguir alcançar o equilíbrio emocional.
  5. Exercitar a respiração.
  6. Comer com Gratidão (agradecendo ao alimento e a todas as pessoas que fizeram com que o alimento chegasse à mesa)

 

 

BUSCANDO MUDAR UM PONTO, MUDOU SUA VIDA

Muitas vezes, achamos que o mundo e as pessoas à nossa volta estão errados. E sofremos. Mas o problema está sempre dentro de nós mesmos. Se queremos ultrapassar um obstáculo, precisamos descobrir o ponto em nosso interior que deve ser mudado.

Meishu‐Sama nos ensina que homem é espírito e mulher é matéria. Em todos os relacionamentos existe esta ordem: entre pais e filhos, entre chefe e empregados, em tudo, inclusive no relacionamento homem/mulher.

À mulher cabe a missão de construir o marido para que trabalhe para o bem‐estar da sociedade. É famoso o ditado: “Atrás de um grande homem há sempre uma grande mulher”. A mulher é o equilíbrio do lar, por isso os rapazes devem olhar bem a esposa
que escolherem.
A missão primeira, tanto do homem quanto da mulher, é a construção do mundo ideal e, a seguir, para o homem, vem a missão com o trabalho e depois com a família. Já com a mulher, os valores são diferentes: primeiro a missão com a família, depois com a profissão.

Entre os vários casos de jovens que acompanhei, deparei‐me com o de uma moça que passo a relatar.

Havia uma jovem muito bonita que, quando comecei a companhar, só pensava na sua profissão. Eu olhava o jeito dela, extremamente decidido, ativo, e pensava como ela devia anular qualquer homem a seu lado. Ela decidia tudo. Seus namoros não iam além
de três meses, pois, nos primeiros obstáculos, ela já terminava tudo.
Em casa, ela não fazia nada, mal fritava um ovo e tudo classificava como “descartável”. Como já contava com vinte e seis anos e, apesar de muito dedicada na Igreja, não conseguia encontrar um bom namorado, veio conversar comigo sobre sua preocupação.
– “O que devo fazer para arranjar um bom namorado que dê certo?”, perguntou‐me.
– “O senhor vive me dizendo para arranjar um namorado, sigo todas suas orientações das aulas, dos seminários para moças, procurando ser mais atrativa. Por conta própria, segui a orientação que o senhor deu para outra moça e fiquei dois anos sem namorar, só dedicando para crescer espiritualmente mas, até agora, nada. Sensei, já tenho vinte e seis anos, vou ficar ‘encalhada’, para ‘titia’ como dizem…

Comecei a rir. Ela já havia mudado um pouco, compreendia e aceitava mais a importância da mulher lidar com tarefas do lar, e começava a perceber que só com a parte profissional e financeira, continuaria sentindo um “vazio” em sua vida, pois fugia de sua missão primeira como mulher, esposa e mãe.

Pensei na melhor maneira de orientá‐la, mas eram tantos pontos que essa moça tinha que mudar, que eu não sabia por onde começar. E não queria apontar seus vários pontos falhos, senão ela se acharia um caso sem solução. Então, disse apenas:

– “Você deve mudar um pontinho, apenas um. Quando perceber qual é e conseguir mudá‐lo, estará pronta para receber um bom namorado. Atualmente, mesmo que apareça um, não será aceito.”

– “Mas que ‘pontinho’ é esse?”, perguntou‐me ansiosa.

– “Bom, isso você vai ter que descobrir sozinha, eu não vou
dizer. Na hora em que você chegar nesse ponto, eu digo”, respondi na ocasião.

Esta moça aprimorou o espírito de busca. Tudo que ouvia sobre o assunto nas aulas, nos seminários para moças, nos Ensinamentos ela praticava. Quando percebia algo para mudar, já partia para a prática com força total. Assim que mudava algo, vinha até mim e
perguntava:

– “Sensei, eu não ajudava minha mãe a lavar e limpar os pratos. É esse o ponto?

Eu lhe respondia que não. Passava mais um tempo, ela mudava outro ponto e vinha novamente:

– “Pela primeira vez, ajudei a limpar o peixe. Descobri o pontinho! É isso, não é?”

– “Não, ainda não” eu dizia.

Assim foi o aprimoramento dela por uns dois anos e, nesse tempo todo, ela praticamente “virou do avesso”, mudando vários pontos até chegar no tal “pontinho”.

Por várias vezes, chegou a desanimar, mas sempre foi reanimada com nova esperança. Eu mesmo não sabia que “pontinho” era esse, foi apenas o caminho que encontrei para fazê‐la mudar tudo que tinha para mudar. Mas a situação chegou a um estágio em que ela mudava, mudava, mudava, e o namorado não aparecia.

Comecei a me preocupar, mas tinha certeza de que Meishu‐Sama não iria me “deixar na mão”. Estava por conta dele.

Decidi que só diria a ela que descobrira qual o “pontinho” quando arranjasse o namorado. Em meio às suas dedicações, ela conheceu um rapaz, membro, com o qual criou um laço de amizade e pelo qual começou a se interessar. Mas ele tinha namorada, que o havia encaminhado à Igreja e ela, sabendo disso, logo aquietou seu interesse. Passou um tempo, ele terminou o namoro e ela veio falar comigo, contando seu interesse pelo rapaz e perguntando o que deveria fazer. Fiquei contente, aliviado, pois Meishu‐Sama já manifestava algo através deste fato. “Ele não me deixou na mão”, pensei.

Orientei‐a assim:
– “Torne‐se cada vez mais atrativa. Mas não só exteriormente, principalmente no seu interior e não tome nenhuma atitude. Ele chegará até você.”

Ela, que era uma pessoa brincalhona e extrovertida, ficou mais quieta e reflexiva. Em seguida, esse rapaz pelo qual ela estava interessada, veio falar comigo:
– “Estou gostando de uma moça da difusão e gostaria de receber sua orientação.”

Finalmente, as portas se abriram! Ele também se interessou por ela. Um dia, na saída de um Culto, vi os dois conversando e disse:

– “Olha, ele gosta de você”.

E para ele:
– “Ela gosta de você.”

Ficaram os dois sem graça mas, daí para o namoro, o noivado e o casamento foi “um pulo”, como dizem. Durante o namoro, ela, que detestava afazeres do lar, foi fazer curso de corte e costura e culinária. Durante este período, por várias vezes, perguntou qual era o “pontinho”. Disse que diria depois do casamento.

Realizei o casamento e, após a cerimônia, ela veio me perguntar mais uma vez qual era o “pontinho”. Respondi que não sabia qual era o ponto.
Todas as vezes que as coisas não vão bem e nós não somos felizes, devemos procurar as causas dentro de nós e nunca fora.

 

 


História extraída do livro A Felicidade no Casamento está Dentro de Cada Um.

Para adquirir o seu, basta clicar aqui.

 

[PROJETO PESO IDEAL] – Lembrete

Que fenômeno!!!

Pela pesquisa que realizei junto às pessoas que tinham interesse em melhorar a saúde na busca do equilíbrio no peso, percebi que todos querem o peso ideal, mas no dia a dia estão encontrando algumas dificuldades exteriores e interiores para prosseguirem.

Diante destas dificuldades, começam as práticas cambaleando e com muita insegurança. Ao se depararem com as primeiras barreiras desanimam e não dão prosseguimento por um tempo mínimo até que surjam os primeiros efeitos que certamente farão nascer a esperança de que é possível alcançar o objetivo determinado.

É lógico que, para conseguirmos os nossos objetivos, necessitamos vencer algumas barreiras que temos no nosso interior além do livre arbítrio. A minha missão é ajudar a ultrapassá-las e para isso, preciso receber os relatórios das práticas que estão sendo realizadas semanalmente (todas as terças) para que possamos, juntos, ultrapassar essas dificuldades invisíveis.

Dentro de nós existem duas forças trabalhando diuturnamente, o bem e o mal. Por isso, vamos dar ouvidos ao bem, para que alinhados à Deus consigamos atingir o nosso objetivo de alcançar a felicidade através do equilíbrio do peso.

Vamos criar uma profunda intenção de sermos felizes (ou mais felizes). Mesmo que as tarefas estejam incompletas, procure relatar para abrir esse canal de ajuda.